Quais são as características do antivírus corporativo?

Quais são as características do antivírus corporativo?

Softwares corporativos possuem diretrizes diferentes dos que são destinados a usuários individuais. Entenda quais são as características do antivírus corporativo e escolha a melhor solução para sua empresa.

Softwares corporativos são, embora poucos saibam, completamente diferentes. E na área de segurança da informação? Que características do antivírus corporativo o tornam diferente?

Produtos corporativos possuem diretrizes distintas daqueles destinados apenas a usuários individuais. Sim, o número de pessoas que eles atendem são parte da razão pela qual são distintos, mas não é só isso.

Quantidade de usuários

Vamos começar por aqui. Quando falamos em empresas, há dois aspectos importantes dentro da segurança da informação:

  • Todos os computadores e usuários precisam estar igualmente protegidos
  • Os sistemas precisam ser uniformes e configuráveis de forma global

Não é preciso ser especialista para compreender essas duas necessidades. Em primeiro lugar, cada computador é um alvo – deixar apenas um deles sem proteção pode criar riscos para toda uma rede.

Quais são as características do antivírus corporativo?

Além disso, quando não há uniformidade e centralização, o suporte ou pessoal de apoio de TI precisa verificar máquinas de forma individualizada. Isso significa um desperdício imenso de tempo e horas de trabalho (às vezes pagas em contratos de prestação de serviço, como adicionais).

Aquisição por licença

Sistemas de antivírus corporativo precisam atender a um número grande de máquinas. A forma mais simples de dimensionar o valor a ser pago, por parte dos desenvolvedores, é pelo número de usuários.

Sistemas como o Symantec Antivirus Corporate Edition possuem preços por assinante registrado. Esse preço varia conforme o número de usuários a ser registrado.

Mas atenção aqui: os preços não necessariamente CAEM com um maior número de usuários. Isso parece ir de encontro com tudo o que você entende de vendas, mas em TI faz algum sentido.

A partir de determinado número de máquinas, o grau de complexidade dos sistemas e redes os torna muito mais difíceis de gerir. Além disso, os desenvolvedores possuem ferramentas específicas para empresas de maior porte – e por isso mesmo tendem a cobrar mais por isso.

A solução? A partir de um número grande de usuários, geralmente maior que 200 ou 300, as vantagens de aquisição por meio de parceiros desses desenvolvedores tornam-se ainda mais nítida.

Velocidade e execução em segundo plano

Empresas inteiras não podem ir “tomar um café” enquanto programas de segurança e prevenção realizam tarefas. Entretanto, muitas empresas ainda tomam horas de trabalho dos funcionários em rotinas de prevenção. Há até mesmo quem “libere” o pessoal em dias de manutenção de computadores e redes.

A produtividade é um aspecto importante para os antivírus corporativos. Com execução descentralizada e contínua, a maioria deles opera em segundo plano. A execução de rotinas se dá de modo gradual e sempre em linha com o uso das máquinas.

Sistemas de antivírus comuns não tem necessariamente tal preocupação. Seu objetivo é o de remover vírus – não o de removê-los sem atrapalhar o usuário.

Ferramentas e módulos adicionais

Não é apenas antivírus. O “antivírus corporativo” possui, em praticamente todos os casos, uma enorme gama de ferramentas e utilitários que permitem não apenas o combate e detecção de vírus e malware – mas sim o desenvolvimento de políticas e ações para mitigar e até extinguir riscos.

Quando o número de usuários aumenta, novas ferramentas vão sendo adicionadas, muitas delas para facilitar a gestão e controle:

  • Antivírus e antispyware
  • Mecanismos de prevenção a intrusos
  • Sistemas específicos de proteção de navegadores
  • Filtros mais inteligentes de acesso
  • Controle sofisticado de dispositivos de armazenamento portáteis e móveis, bem como portas USB
  • Compatibilidade com múltiplos sistemas operacionais
  • Ferramentas virtualizadas
  • Sistemas de controle e gestão remota e através da nuvem

Existem recursos que são desnecessários ou um luxo caro para pequenos negócios e usuários individuais. Contudo, quando a segurança é de caráter corporativo e empresarial, ferramentas específicas e tecnologias mais avançadas tornam-se uma necessidade.

O antivírus corporativo não é apenas um “nome” que se segue aos produtos na área de segurança da informação. E, a depender do perfil da sua empresa, a falta de uma ou duas dessas ferramentas adicionais podem multiplicar dezenas de vezes os riscos de infecção e ataques em sua rede.

 

Após entender as principais características de um antivírus corporativo, você pode estar se perguntando se sua empresa precisa de uma solução desse nível, afinal, essa solução pode parecer ser voltada para empresas de grande porte. Pensando nisso, fizemos um post para sanar esse tipo de dúvida. “Clique aqui” e entenda se uma empresa de pequeno-médio porte precisa de um antivírus corporativo.

Continua com duvidas, quer enviar uma sugestão, encontrou um erro ou algo que pode ser melhorado? Fale conosco através do blog@triplait.com.

Gostou? Curte, comenta, compartilha e deixa um recado para o nosso time aqui nos comentários abaixo!

 

 

Powered by WP Review

About the Author

Hugo Bär
Sócio-diretor da Tripla, responsável pela área de Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento de Produtos, com mais de 15 anos de experiência em empresas no Brasil e Europa, nas áreas de redes e segurança da informação