Como me tornar um Especialista de Segurança da Informação

Quer ser um especialista de segurança da informação? Entenda o que é necessário.

Hoje em dia o especialista de segurança da informação tem uma grande importância nas equipes de TI.

Tendo em vista o crescente volume de dados e a importância do armazenamento e gerenciamento dessas informações de forma segura, seja em data centers físicos, em nuvem via cloud ou de forma híbrida.

Assim como, os riscos eminentes de ataques por vírus e malwares, ransomweares, phishings, entre outras ameaças, não é de se surpreender que profissionais especializados em segurança da informação, estejam em evidência.

Quer saber mais sobre o mercado e as funções da área de segurança da informação? Leia este artigo e entenda mais sobre a profissão.

Confira!

O profissional de segurança da informação

O profissional de segurança da informação deve seguir os princípios da Segurança da Informação, que consistem na proteção da informação de vários tipos de ameaça para garantir a continuidade do negócio.

Para que isso seja possível é preciso que o profissional tenha acesso a um conjunto de ferramentas gerenciais.

Além disso, a definição de políticas de acesso, a estipulação de processos e procedimentos que resguardem a integridade dos dados armazenados, a consolidação de estruturas organizacionais bem definidas e implementações de software e hardware são necessárias.

Esses recursos devem ser estruturados, mas também monitorados, analisados e aperfeiçoados.

Assim, minimizam-se as brechas na segurança e na gestão informacional e maximiza-se o retorno sobre os investimentos.

O especialista de segurança da informação deve, enfim, prevenir que dados sigilosos caiam em mãos erradas.

O perfil esperado para esse tipo de profissional é que tenha amplos conhecimentos nos mais variados assuntos relacionados à tecnologia, mas também, sobre engenharia social.

Dessa forma, conseguirá proteger a empresa das quatro vulnerabilidades da segurança da informação: vulnerabilidade de armazenamento, de comunicação, de infraestrutura e de pessoas, e assim, prevenir riscos em todas as instâncias da empresa, não apenas às tecnológicas.

Além disso, como esse é um assunto que está em constante movimento, o estudo, dedicação e manter-se sempre antenado com as últimas novidades da área é imprescindível.

Áreas de atuação e mercado de trabalho

O profissional especialista de segurança da informação pode atuar na elaboração de planos estratégicos que resguardem os dados e as informações, na auditoria de sistemas informatizados e no monitoramento e controle de políticas de segurança.

Além de postos na própria área de TI, os profissionais de segurança da informação também costumam atuar em áreas de educação corporativa e de desenvolvimento de produtos e serviços.

Mas, de um modo geral, quaisquer funções que envolvam o estudo de maneiras que garantam a segurança de informações de um negócio são válidas.

Assim, até mesmo serviços de inteligência de órgãos públicos, por exemplo, necessitam desse tipo de profissional.

O salário, no início da carreira fica em torno dos R$ 2.500,00 e, daí, podem crescer muito, dependendo de onde o profissional atua, da experiência e certificações adquiridas. 

Como se tornar um especialista de segurança da informação

A formação acadêmica do profissional de segurança da informação é o primeiro passo, para adquirir os conhecimentos essenciais sobre TI e segurança da informação.

Formação acadêmica do novo profissional

Um profissional aspirante, pode realizar um curso superior tecnólogo em segurança da informação.

O curso tecnólogo em geral dura cerca de dois anos e pode ser feito, inclusive, à distância. Pode receber alguns outros nomes, como por exemplo Gestão de Segurança de Computadores, Segurança da Tecnologia da Informação, Segurança de Computadores e Segurança de Redes de Computadores.

Especialização de profissionais de TI

Um profissional que já atue na área de TI, pode se especializar se tornando um especialista de segurança da informação. Caso já possua uma formação mais generalista na área de tecnologia, como um bacharelado em ciências da computação, por exemplo, pode realizar pós-graduações na área segurança de informação.

Certificações essenciais

Na área de Segurança da Informação, assim como em diversas outras especialidades de TI, é uma prática internacional comum exigir certificações alinhadas com as atribuições do cargo que um dado profissional ocupa ou pretende ocupar. Tais certificações valorizam o currículo do profissional, atestando que ele possui conhecimento ou experiência nos assuntos. Entretanto, quando a obtenção da certificação não é uma solicitação explícita de uma empresa ou organização nem pré-requisito para a execução de uma atividade, muitos profissionais têm dificuldade para determinar quais certificações seriam mais apropriadas e o dirigiriam à posição/cargo que o mesmo deseja alcança. Listamos as 5 principais certificações para quem pretende iniciar ou evoluir na carreira de segurança da informação.

CEH: Certified Ethical Hacker

No mercado de Segurança da Informação, a certificação Certified Ethical Hacker (CEH) da EC-Council é umas das principais certificações internacionais e tem sido uma certificação de normalização. Além disto, o novo lançamento, CEHv8, é credenciado ANSI 17024.

O programa de treinamento CEH tem sido amplamente utilizado pelo Pentágono a fim de treinar os profissionais que atuam na área de defesa de redes, como parte da Diretiva 8570 do Departamento de Defesa de Americano. O programa CEH da EC-Council certifica indivíduos especificamente na disciplina do “Hacking ético” em segurança de rede, utilizando uma perspectiva “vendor neutral”, ou seja, que não enfoca uma tecnologia específica, evitando restringir os horizontes do profissional.

O “Ethical Hacker” é um profissional dotado de habilidades para encontrar as vulnerabilidades e fraquezas dos sistemas, utilizando os mesmos conhecimentos, ferramentas e metodologias empregadas por um atacante malicioso. Aborda tópicos como: criptografia, engenharia social, testes de invasão, injeção de códigos SQL, dentre outros.

CISM: Certified Information Security Manager

É uma credencial superior para profissionais de TI responsáveis por gerenciar, desenvolver e supervisionar sistemas de segurança de informações em aplicativos de nível corporativo ou para desenvolver melhores práticas de segurança organizacional. A credencial CISM foi apresentada aos profissionais de segurança em 2003 pela Associação de Auditoria e Controle de Sistemas de Informação (ISACA). Os objetivos organizacionais da ISACA são especificamente voltados para profissionais de TI interessados nos mais altos padrões de qualidade em relação à auditoria, controle e segurança de sistemas de informação. A credencial CISM visa as necessidades dos profissionais de segurança de TI com responsabilidades de gerenciamento de segurança a nível empresarial. Os detentores de credenciais possuem habilidades avançadas e comprovadas em gerenciamento de risco de segurança, desenvolvimento e gerenciamento de programas, governança e gerenciamento e resposta de incidentes.

Security+

A CompTIA Security+ é uma certificação internacional que demonstra competência em: Segurança de Redes; Conformidade e Segurança Operacional; Ameaças e Vulnerabilidades; Segurança de Aplicações, Dados e Estações; Controle de Acesso e Gerência de Identidade; e Criptografia. Ela garante que os candidatos não estarão somente aptos a aplicar os conhecimentos de conceitos, ferramentas e procedimentos de segurança para reagir a incidentes de segurança, como também estarão aptos a antecipar riscos de segurança, sendo capazes de tomar as medidas proativas necessárias.

CISSP: Certified Information Systems Security Professional

Esta foi a primeira certificação na área de Segurança da Informação a atender aos rigorosos requisitos da norma ISO/IEC 17024 e é uma das certificações mais cobiçadas pelos profissionais na área de segurança da informação. Um profissional certificado CISSP é um profissional de segurança da informação que define a arquitetura, design, gestão e/ou controles que garantem a segurança de ambientes corporativos. A vasta amplitude de conhecimentos e experiências necessários para aprovação no exame é o que diferencia um CISSP. A credencial demonstra um nível reconhecido globalmente de competência fornecido pelo CBK® do ISC²®, que cobre tópicos críticos em segurança, incluindo os atuais como computação em nuvem, segurança móvel, segurança no desenvolvimento de aplicativos, gestão de riscos, dentre outros.

GSEC: SANS GIAC Security Essentials

Outra certificação de nível intermediário é o GIAC Security Essentials (GSEC), projetado para profissionais que procuram demonstrar que eles não só entendem a terminologia e os conceitos de segurança da informação, como também possuem as habilidades e os conhecimentos técnicos necessários para ocupar papéis de segurança “hands-on” . Os certificados do GSEC possuem conhecimentos e habilidades técnicas em áreas como a identificação e prevenção de ataques comuns e sem fio, controles de acesso, autenticação, gerenciamento de senhas, DNS, fundamentos de criptografia, ICMP, IPv6, infraestrutura de chave pública, Linux, mapeamento de rede e protocolos de rede.

 

Assim, agora que você já sabe um pouco mais sobre a área de segurança da informação, que tal começar a se especializar?

Já é um especialista em segurança da informação e veio em busca de dicas para conseguir uma colocação no mercado? Cadastre aqui o seu currículo. Quem sabe não vem trabalhar com a gente?!

 

 

Powered by WP Review